Vetorização com CorelDRAW – por Matheus Olimpio

Trabalho de vetorização desenvolvido no Curso de CorelDRAW da MPR Informática.
Parabéns, Matheus! Pela paciência, dedicação e qualidade final do seu trabalho! #valeuapena

Clique aqui – Curso de CorelDRAW – MPR Informática

O que é RGB ?

RGB é a sigla do sistema de cores aditivas formado pelas iniciais das cores em inglês Red, Green e Blue, que significa em português, respectivamente, Vermelho, Verde e Azul.

O sistema de cores luminosas RGB (também designado por cor-luz) é usado nos objetos que emitem luz como, por exemplo, os monitores de computador e televisão, as câmeras digitais, o scanner, entre outros.

Já nas impressoras é utilizado o padrão de cores subtrativas denominado CMYK, formado pelos pigmentos primários Cyan (Ciano), Magenta (Magenta) e Yellow (Amarelo) e ainda, o blacK (Preto).

As cores são obtidas através das misturas das três cores primárias, em quantidades determinadas. Cada uma das cores obtidas estão enquadradas numa escala que varia de 0 a 255. Quando a mistura das três cores está no valor mínimo (0, 0, 0), o resultado é a cor preta. Quanto está no máximo (255, 255, 255), resulta na cor branca.

A variação entre valores mínimos corresponde a tons escuros e entre os valores máximos, os tons são mais intensos, mais claros.

O que é CMYK ?

CMYK é um sistema de cores cuja sigla é formada pelas cores Cyan (Ciano), Magenta (Magenta), Yellow (Amarelo) e blacK (Preto). O CMYK (também chamado de cor-pigmento) é um sistema muito utilizado indústria gráfica.

Além das cores primárias ciano, magenta e amarelo, também usa a cor preta, considerada como a “cor chave” por ser essencial para definir os detalhes de uma imagem (para alguns, o “K” que faz parte da sigla seria da palavra inglesa “Key”, que significa “chave”).

O sistema CMYK é utilizado para impressão em cores com tinta, com o objetivo de ocultar algumas cores, quando o fundo é branco, para diminuir a luminosidade e ressaltar a combinação das quatro cores. O CMYK pode reproduzir todas as principais gama de cores, mas não todas as cores existentes do mundo. O CMYK funciona através de impressoras e fotocopiadoras para reproduzir uma grande parte das cores do espectro visível.

Enquanto o CMYK é a cor-pigmento, o sistema RGB (vermelho, verde e azul) é definido como a cor-luz, sendo utilizado nos objetos que emitem luz (na televisão, por exemplo).

Além do CMYK e do RGB, existem outros padrões de cores, como o Pantone, uma biblioteca que possui uma imensa gama de cores catalogadas.

Finalizar e enviar para gráfica seus projetos

Olá amigos

Estas 8 dicas são preciosas para iniciantes em aplicativos gráficos como Photoshop, Indesign, Illustrator.
Neste artigos darei algumas sugestões para vocês fecharem seus projetos e enviarem para gráfica para impressão.

1. Não utilize JPEG em suas imagens.
O melhor formato é o tiff pois ele comprime a imagem com base no algoritimo de um compactador de arquivo (.ZIP ou .RAR), sem alterar a qualidade da imagem, este formato é maior que o JPEG porque o jpeg comprime a imagem com perda de qualidade e resolução.

2. Cor sempre usa paleta CMYK ou Pantone, nunca RGB
Outro probelma sério na finalização de um projeto é a paleta de cores usadas quando o projeto for impresso sempre utilizaremos a paleta CMYK que é pigmentar atingi-se os tons através de mistura em porcetagem de pigmentos (cores), PANTONE é uma escala de cores onde os tons das cores esta determinado através deu um número por exemplo Pantone solid Coated 354C (será um determinado tom de verde) o CMYK dele será C89 M0 Y90 K0 ou seu RGB será R0 G176 B82.

3. Sempre converter todas as fontes em curvas
Outro problema bastante comum são as fontes ou tipos quando não convertido em curvas podem atrapalhar bastante o bom andamento do projeto, caso a gráfica não possua fonte o texto não abrirá corretamente pedindo para você substituir a atual fonte por uma parecida.
Convertendo em curva não haverá este problema, pois a fonte se torna um texto gráfico por exemplo a letra A passa ser o desenho A.

4. Verificar se todas imagens estão linkadas.
É muito comum se esquecer de enviar para gráfica a pasta com as imagens, por isso é sempre bom você certificar-se que as imagens estão linkadas. E os caminhos da imagens estão corretos.
Obs:Note que ao lado de uma imagem tem um ponto de interrogação que precisamos efetuar o re-link.

5. Nunca esquecer os “bleeds” ou sangrias em seus projetos.

É muito comum também esquecer da área de sangria ou bleeds e enviarmos o projeto para corte com as margens justas com o final da impressão podendo assim prejudicar a arte final.

Sangria ou Bleeds são nada mais que uma margem de segurança esta margem em maior que a área da arte final, lembrando que o papel durante a impressão, a bobina do papel pode deformar esticando ou afroxando.

É uma segurança para o operador da guilhotina sem que se exija uma precisão milimétrica.

Geralmente basta aumentar 3 a 5 mm.

6. Marcas de corte

Outro erro muito comum e importante são as marcas de corte sempre enviar as marcas de cortes en seus projetos para o arte-finalista saber om poderá efetuar o corte sem erro.

E colocá-las em lugar certo elas devem sempre ficar na área do trabalho final e não nas bleeds.

As marcas deverão sempre ir em modo Registration assim elas aparecerão em todas as camadas CMYK ou Pantones.

7. Envie uma prova de cor física de qualidade, ou se não tem solicite

Bem este ponto é um dos grande problemas para os artes-finalistas, muitas pessoas fazem uma prova de cor numa impressora em casa em papel fotográfico e pronto e pensa que arte sairá igual na impressão.

Isso é um erro, e que daria motivo só para mais um post, esse erro é simples, visto que os processos de impressão de uma Laser ou Deskjet não têm nada a ver com o processo offset e depois os perfis mudam e existem mais umas não sei quantas variáveis que o vão iludir e levar ao erro, pois desista, use só para verificar se os textos e os layouts estão correctos e não falta nada no trabalho.

Solicite à gráfica antes de imprimir uma prova de cor devidamente calibrada e ai terá uma boa percepção do trabalho que terá no final.

8. Envie um PDF em alta resolução

No mercado atualmente se pede que os projetos deveriam vir em formato fechado em PDF de alta resolução, e um PDF em alta resolução não é um PDF em High Quality, mas sim um PDF para impressão que pode ser o PDF-X1a ou os PDF-X.

Mas como por vezes esses PDF’s não são bem feitos, aconselho a enviar o trabalho no programa nativo também Illustrator, mas sempre com um PDF com tudo correto a acompanhar para que o arte finalista tenha algum suporte onde se possa apoiar para verificar se o resultado final é aquele que você pretendia.

Referência: http://www.artesfinais.com/8-dicas-antes-de-finalizar-o-seu-trabalho-para-a-grafica

Número de caracteres Indesign

Em um frame de texto, para saber a quantidade de caracteres, palavras, linhas e parágrafos, utilize o painel Info (F8) ou Window>Info

Com a ferramenta Type Tool (T), selecione o trecho desejado e o painel Files mostrará as informações.

Clique aqui – Curso de InDesign – MPR Informática

Convertendo data padrão americano (ano/mês/dia) para data no formato brasileiro (dia/mês/ano)

Confira o artigo sobre conversão de datas no Excel:

http://curso-de-excel-mpr.blogspot.com/2011/10/convertendo-data-padrao-americano.html

Clique aqui – Curso de Excel Avançado – MPR Informática

Curso de Digitação para Concurso Público

A MPR Informática estrutura um treinamento focado no edital de seu concurso para que você aprenda e pratique corretamente as técnicas de digitação nessa importante fase do concurso.

Aprenda a digitar corretamente sem precisar olhar para o teclado.

A digitação é uma importante fase para quem está realizando concurso público, pois é necessário atingir um objetivo como, por exemplo, digitar 1800 caracteres em 11 minutos.

Você consegue?

Então prepare-se com a gente e vença mais essa etapa!

http://www.mprinformatica.com.br/digitacao.html

Essa vaga tem que ser sua!

RECURSO PARA ALAVANCAR A PRODUTIVIDADE E A LUCRATIVIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

No atual mundo globalizado em que as pessoas estão interconectadas através da internet, celulares e outras mídias eletrônicas, cada vez mais os consumidores exigem produtos e serviços com qualidade, menor prazo de entrega e com preços competitivos. O acesso às informações permite à grande parte da população selecionar o que vai consumir e até ditar tendências de produtos, e quando se fala em uma economia globalizada, amplia-se a dimensão da informação, pela concretização dos negócios através das cadeias de suprimento, processos, logística de distribuição e novas formas de comunicação. Esse fenômeno sócio-econômico contribui para acelerar o ritmo das mudanças, pois as pessoas e empresas comparam tudo o que consomem, fomentando, indiretamente, o aumento da competição entre os fornecedores de produtos e serviços.

Neste cenário, uma organização que pretende ter sucesso precisa ter elevada produtividade, criatividade, organização e processos qualificados. Precisa ser suficientemente flexível para se adaptar às mudanças, estar atualizada e capacitada em tecnologia da informação (tecnologia da informação), ter elevada produtividade na gestão do tempo, manter um canal eficaz e eficiente de comunicação com os stakeholders, o que requer equipe suficientemente treinada para ser altamente produtiva, porque o mercado não tem vocação para pagar incompetência ou ineficiência.

A tecnologia da informação possui papel fundamental na consecução das condições indispensáveis para a sobrevivência das organizações, porque 1. É, ao mesmo tempo, uma ferramenta provocadora de mudanças e meio de adaptação à nova realidade resultante da combinação de fatores endógenos e exógenos que aceleram o ritmo das mudanças do mundo moderno, 2. Está presente nos principais recursos de comunicação atual, e 3. Permite planejar, estruturar, coordenar, controlar as atividades produtivas, para maximizar a utilização dos fatores de produção de bens e serviços. A tecnologia da informação contribui para a satisfação dos clientes e para a lucratividade, desenvolvimento e perenidade da empresa com qualidade de vida de todos os atores econômicos e com respeito ao meio-ambiente.

Antes de prosseguir, adotaremos as seguintes definições:
Produtividade é uma medida da eficiência de um processo produtivo. Exemplos, produção de 50 pares de sapato por dia, atendimento de 5 pacientes por período, análise de 100 carteiras de crédito por mês etc.
Lucro é a diferença entre a receita obtida com a venda de produtos ou serviços, e os custos e despesas de produção e administração. Lucratividade é a relação entre o lucro e o valor das vendas.

A correta utilização da tecnologia da informação, no dia-a-dia, contribui significativamente para incrementar a produtividade, a lucratividade, o desenvolvimento e a perenidade da empresa. O investimento em tecnologia da informação inclui os seguintes recursos: hardware, software e conectividade, tecnicamente, ajustados às necessidades da empresa, e treinamento do principal patrimônio das empresas, os usuários, capacitando-os a utilizar todo o potencial disponibilizado pelo investimento em hardware, software e conectividade.

O avião mais moderno não poderá sequer levantar vôo se o comandante não for treinado a operá-lo de forma eficiente, eficaz e segura. De maneira semelhante, os colaboradores das empresas que estão bem capacitados em tecnologia da informação podem produzir enorme diferencial competitivo, tais como:
• Utilizam modernos recursos de comunicação de maneira otimizada, permitindo trocas de mensagens de modo rápido, com segurança e até com interatividade;
• Possibilitam trabalho compartilhado, simultâneo e coordenado de acordo com parâmetros de tempo, custo e recursos, definidos como referências de controle de produtividade;
• Agendamento organizado das atividades de cada membro da equipe, de forma a minimizar a ocorrência de procrastinação e a maximizar a produtividade coletiva;
• Apóiam a elaboração e o controle de projetos;
• Facilitam a padronização e segurança de dados para a realização de análises gerenciais de todas as atividades da empresa;
• Apóiam a comunicação sobre projetos, idéias e de relatórios, que necessitem ser analisados ou trabalhados em grupo, com recursos multimídia de forma a facilitar a transmissão de dados e informações;
• Facilitam a compreensão e interpretação de grandes volumes de dados e produzem relatórios sintéticos ou individualizados, conforme as necessidades específicas de cada usuário;
• Fomentam e facilitam o trabalho colaborativo e criativo.

O mais impressionante é que todos estes recursos estão disponíveis e podem atender a maioria das empresas, independente do porte. A empresa poderá ser circunstancialmente pequena, mas seus líderes podem e devem pensar grande. E o retorno do investimento bem orientado é garantido, porém existem duas condições básicas: estes investimentos devem ser orientados por profissional competente e com independência moral e financeira para dizer o que é preciso ser dito tecnicamente, e não necessariamente o que o contratante deseja ouvir. A segunda condição é a garantia da manutenção produtiva do investimento, que é o treinamento dos usuários de forma a capacitá-los a operar eficientemente o sistema e a identificar o que precisa ser melhorado, quais novas necessidades demandam ampliação dos recursos e do treinamento recebido. É desejável que além de melhorar a competência dos colaboradores como usuários dos recursos de tecnologia da informação, diretores e colaboradores sejam treinados em gestão empresarial e de pessoas, para que todos tenham uniformidade conceitual sobre lucro, segurança do negócio, desenvolvimento com qualidade de vida de líderes e liderados com respeito ao meio-ambiente, para que todos os investimentos da empresa contribuam para aumentar a riqueza dos seus investidores e possibilitem à empresa estabelecer boas práticas de gestão de pessoas, de forma a atrair e manter profissionais competentes, que trabalhem bem em equipe, para que a empresa tenha diferenciais competitivos de atendimento, de qualidade na entrega de produtos e serviços aos clientes, que crie nos clientes, nos fornecedores, colaboradores e nos financiadores uma imensa sensação de confiança e segurança.

Sobre os autores
Carlos César Tanaka
Formado em Ciências da Computação pelo IME-USP e Mestre em Sistemas Digitais pela EP-USP, possui 15 anos de experiência em ensino e treinamento de informática.
Atualmente é diretor da MPR Informática
Email: cesar@mprinformatica.com.br

Jansen de Queiroz
Administrador de empresas e pós-graduado em finanças e recursos humanos pela FGV e em Ciências Econômicas pela UERJ, com mais de vinte e cinco anos de experiência como executivo no nível de diretoria de empresas.
Atualmente atua como Coach e Consultor em Gestão Polifocal
e-mail: jansen@gestaopolifocal.com.br